Inaugurada nova sede da Polícia Civil


Direção Geral e Centro Tecnológico ganharam nova infraestrutura

 A Direção Geral da Polícia Civil ganhou hoje nova sede, um edifício de 13 mil m² que foi inaugurado com o novo Centro Tecnológico da PCDF, ocasião em que foram entregues 56 novos veículos para as delegacias e para a Divisão de Operações Especiais (DOE).

"Estamos inaugurando a sede da melhor Polícia Civil do Brasil, quem diz isso são as estatísticas. O índice de solução de crimes no DF está entre os mais altos do país", destacou o secretário de Segurança Pública, Sandro Avelar, que ressaltou que o DF apresenta índice de 80% de solução de homicídios.

Para a aquisição dos novos carros para as delegacias circunscricionais, especializadas e para a DOE, foram realizados investimentos de R$7,28 milhões.
O novo prédio da Direção Geral abriga também, a partir de agora, a Corregedoria-Geral, grande parte do Instituto de Criminalística, os departamentos de Administração Geral de Atividades Especiais, Gestão de Pessoas, Polícia Circunscricional, Polícia Técnica e Divisão de Comunicação.

Para a construção do edifício foram aplicados R$20 milhões na parte física e mais R$10 milhões em mobiliário e equipamentos.
O Centro Tecnológico sediará as divisões de Tecnologia, de Telecomunicações e de Arquitetura e Engenharia da corporação, um investimento de R$5,47 milhões.
Ambas as estruturas estão localizadas no Complexo da Polícia Civil, no Setor Policial.
"Agora temos uma infraestrutura à altura dos recursos humanos da nossa polícia, que tem trabalhado incessantemente para a diminuição da criminalidade através do programa Ação pela Vida", afirmou o governador Agnelo Queiroz.

A antiga sede da Direção Geral, localizada no mesmo complexo, passará a ser ocupada pelo instituto de Identificação, que não possuía espaço próprio.
SEGURANÇA – As ações das polícias do DF resultaram na redução sistemática da criminalidade em todo o Distrito Federal.
"O número de sequestros-relâmpago diminui 41% em março, em comparação com o mesmo período do ano passado. Ao longo do ano, a redução foi de 23%", salientou o chefe do Executivo regional.

Os registros de latrocínio –roubo seguido de morte- caíram 54%, e os de homicídio, 13%, nos três primeiros meses de 2013.
"Não há capacidade de aperfeiçoamento da criminalidade que seja capaz de deter a nossa Polícia Civil, que vem agindo com inteligência para coibir a criminalidade", completou Agnelo Queiroz.

Outras áreas da corporação receberão nova infraestrutura, como o Instituto de Criminalística, cuja licitação começou, e o novo Instituto de Identificação, que está em projeto.
A 2ª, 8ª, 9ª, 15ª, 16ª e 18ª delegacias terão novas sedes, assim como a Delegacia da Criança e o Adolescente 2 e o Instituto de Medicina Legal (IML).
Recentemente foi aprovada no Congresso Nacional a ampliação do contingente da Polícia Civil em 3 mil policiais, que serão incorporados aos poucos.

Mais Cultura

0 comentários